Autêntica lança mais três títulos da Coleção Língua Portuguesa na Escola

21/08/2012 — Assessoria de Comunicação - Pluricom

Especialistas apresentam novas ferramentas para ensino da língua materna

O ensino de língua materna na escola tem sido organizado, de modo geral, a partir dos eixos didáticos “leitura e compreensão de textos”, “produção de textos escritos”, “linguagem oral” e “análise linguística”. Para dar conta da diversidade de temas envolvidos na tarefa de ensinar a língua portuguesa, a Autêntica Editora lança mais três títulos da Coleção Língua Portuguesa na Escola, que visam auxiliar professores nos diferentes eixos, ampliando suas práticas de ensino para uma melhor formação de alunos, com completo domínio da língua e da escrita.

Organizada por especializadas das mais diversas áreas da educação e letras, a coleção, que já contava com o título Ler e escrever na educação infantil: discutindo práticas pedagógicas, de Ana Carolina Perrusi Brandão e Ester Calland de Sousa Rosa, é agora reforçada pelas obras: O fazer cotidiano na sala de aula, Ensino de gramática e A oralidade na escola. Confira detalhes sobre cada título a seguir:

O fazer cotidiano na sala de aula – A organização do trabalho pedagógico no ensino da língua materna

O ensino da língua materna faz parte do cotidiano das salas de aula da educação básica. Nesta obra, são discutidos diferentes modos de organizar o fazer pedagógico do professor, com base em resultados de pesquisas e exemplos de situações vividas nas escolas. Nessa direção, as autoras refletem sobre a utilização de jogos e livros didáticos, bem como sobre a articulação entre sala de aula, biblioteca e laboratório de tecnologia da informação e comunicação (TIC). Além disso, propõem modos de trabalho com diferentes agrupamentos de alunos e formas de realizar sequências didáticas no ensino de língua portuguesa.

Ensino de gramática – Reflexões sobre a língua portuguesa na escola

Aqui, são apresentadas ao leitor reflexões sobre o eixo do ensino de língua que, atualmente, tem sido denominado “análise linguística”. Esse eixo inclui o “ensino de gramática”, mas não se limita a ele, pois engloba não apenas os conhecimentos relativos à norma linguística de prestígio social, mas também aqueles que se relacionam ao texto e ao discurso. O livro amplia a crescente discussão sobre o ensino da língua na escola e propõe que ela seja utilizada, nesse espaço, como uma ferramenta mais adequada de formação de sujeitos, que se distancie da visão prescritiva da gramática tradicional e que proporcione ao aluno um domínio linguístico mais consistente e atual, em diferentes espaços sociais.

A oralidade na escola – A investigação do trabalho docente como foco de investigação

Por que ensinar a oralidade nas salas de aula da educação básica? O que é ou não é adequado para a abordagem da oralidade nas aulas de Língua Portuguesa? De quais estratégias didático-pedagógicas o professor pode lançar mão para trabalhar com os gêneros da modalidade oral ou com a oralização do texto escrito? Com base em resultados de pesquisas e em experiências de formação docente, os autores desta obra se propõem não apenas à discussão teórica do tema, como também à apresentação de estratégias didático-pedagógicas importantes para o desenvolvimento da competência discursiva dos alunos no que diz respeito à oralidade.

SOBRE OS ORGANIZADORES

Alexsandro Silva é doutor em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e tem estágio de doutoramento no Institut National de Recherche Pédagogique (Paris, França). Atua como professor no Núcleo de formação Docente e no Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro Acadêmico do Agreste da UFPE.

Ana Cláudia Pessoa é doutora em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e atua como professora no Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino do Centro de Educação da UFPE. É também coordenadora e pesquisadora do Centro de Estudos em Educação e Linguagem (CEEL/UFPE).

Ana Lima é professora no Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e pesquisadora do Projeto da Norma Linguística Urbana Culta (Projeto NURC/Recife) e do Centro de estudos em Educação e Linguagem (CEEL/UFPE).

Andréa Tereza Brito Ferreira é doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e pós- doutora em Educação pela Universidade Paris 8 – Saint Denis.

Ester Calland de Sousa Rosa é doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP), professora no Departamento de Psicologia e Orientação Educacionais da Universidade Federal de Pernambuco e membro do Centro de Estudos em Educação e Linguagem (CEEL/UFPE).

Siane Gois é doutora em Letras, professora no Departamento de Letras da UFPE, nas modalidades presencial e a distância. Coordena o curso de graduação em Letras – Licenciatura.

Telma Ferraz Leal é doutora em Psicologia e professora do curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Para mais informações, entre em contato com nossa assessoria de comunicação pelo e-mail ou pelo telefone (11) 3034-4468.

← Voltar

Vendas institucionais e licitações
International calls
+55 (11) 3034 4468
Belo Horizonte
Rua Carlos Turner 420, Bairro Silveira,
Belo Horizonte - MG, CEP 31140-520,
Tel. (31) 3465-4500
São Paulo
Av. Paulista, 2073, Conjunto Nacional,
Horsa I, 23º andar , Conj. 2310, 2311, 2312
Cerqueira Cesar, São Paulo - SP, CEP 01311-940,
Tel. (11) 3034-4468
Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.