Carta de um menino para a pior avó do mundo
de Neusa Sorrenti. (autoria), Aline Abreu (ilustração)

Sinopse

“Vovó (assim mesmo, sem “querida”),

Esta carta que eu estou ditando pro vovô porque estou com pressa, e ele escreve bem rápido, e você leva dois dias pra abrir os e-mails, é pra dizer que você é a pior avó deste mundo.”

O que será que leva um menino a escrever uma carta assim para a avó? Será que ele está desesperado? Será que essa avó fez alguma coisa de que ele não gostou? As respostas estão todas neste livro, que com certeza vai fazer você rir e pensar e se emocionar bastante…

Páginas: 24 • Formato: 21 x 27 cm • Acabamento: Brochura • ISBN: 9788554126001 • Código: 0919L18604 • Editora Vestígio • Edição: 1
Tema: Família, amigos e escola. Gênero: Memória / diário / relatos de experiências.


Autoria

Neusa Sorrenti

Nasci em Itaguara, interior de Minas Gerais. Meus pais, filhos de italianos, davam asas para quase todas as minhas brincadeiras e para todos os meus sonhos de estudar na cidade grande. Aos quatorze anos, vim estudar em Belo Horizonte e fui ficando...
Trabalhei mais de 20 anos como professora do ensino fundamental e depois em cursos de graduação e de pós-graduação. Fiz Letras e Ciência da Informação, na UFMG, pós-graduação/especialização em Literatura Infantil e Juvenil e mestrado em Literaturas de Língua Portuguesa, na PUC Minas, defendendo a dissertação Voz de criança na lírica de Mario Quintana.

Já publiquei cerca de 30 livros para crianças e jovens: O encantador de pirilampos, Prêmio Altamente Recomendável (Compor); Chorinho de riacho e outros poemas para cantar (Formato/Saraiva); Amores em pré-estreia (RHJ); Borboletas na chuva (Saraiva); Pintando poesia; e o teórico A poesia vai à escola: reflexões, comentários e dicas de atividades (ambos pela Autêntica) são alguns deles.

Escrever para crianças é muito prazeroso, mas exige um olhar atento para perceber as vivências infantis, que apresentam, naturalmente, compassos e descompassos por vezes diferentes daqueles do adulto.

Neste livro, tentei observar cuidadosamente essa cadência para recriar uma história real, com o devido respeito pelo ponto de vista da criança ao retratar advertências recebidas no dia a dia. Juntei frases genuínas, reais, com outras também verdadeiras e muito “usadas” que escuto aqui e ali, e fiz esta carta, que bem poderia lembrar, em algum momento e com as devidas proporções, um desabafo da criança que mora dentro de nós. Daí o meu carinho por este texto.

Ilustração

Aline Abreu
Eu sou artista. Minhas ferramentas são palavras e imagens. Sempre amei livros e não sosseguei até virar uma “fazedora de livros”.

Os desenhos pra essa história da Neusa Sorrenti, eu fiz no computador. Pra escolher esse jeito de desenhar, pensei nas crianças que usam muita tecnologia hoje, mas que continuam adorando sujar o pé de terra e chutar bola, correr na grama, comer bolo de vó e ajudar a regar as samambaias… Pensando nisso tudo, tentei trazer pra esses desenhos um toque de afeto, de terra, e cheiro de bolo quentinho.

Espero que você goste.

P.S.: Hoje eu moro em uma cidade grande, e é difícil achar um quintal com terra, mas sempre que posso vou sujar meus pés em algum parque.