Grupo Autêntica

Fique por dentro do Grupo Autêntica

  • Notícias
  • Press Kit (Releases)
  • Saiu na Imprensa
  • Eventos
  • Contato
    (exclusivo para imprensa):

Press kit: ""

Autêntica relança livros de Maura Lopes Cançado em edição especial

Com publicação esgotada há anos, HOSPÍCIO É DEUS e O SOFREDOR DO VER chegam às livrarias em outubro

“Eu sou um anjo com vocação para demônio.” Assim a escritora mineira Maura Lopes Cançado (1929-1993) se descreve em seu livro HOSPÍCIO É DEUS. Ao percorrer as páginas de seu diário, que registram episódios marcantes de sua vida e de suas incontáveis internações psiquiátricas, o leitor facilmente perceberá essa dualidade. Também ficará perturbado com frases de extrema beleza, compreensão e lucidez. Foi esse talento espontâneo, intuitivo e visceral que chamou a atenção de críticos e intelectuais. Para Otto Lara Resende ela “é única e insubstituível” e complementa: “Maura é um testemunho de que a vida é muito forte, sobretudo quando se encarna em alguém da qualidade e do talento que ela tem”.

A mulher que ambicionava ser um dos maiores escritores da língua portuguesa e que foi aclamada pela crítica, nos anos 1960, como uma grande revelação, deixou ainda jovem o interior de Minas Gerais e rumou em busca de oportunidades para Belo Horizonte. Nascida numa família influente, Maura mudou-se, nos anos 1950, para o Rio de Janeiro, onde frequentou a alta roda da capital carioca e passaria a conviver com poetas, artistas, intelectuais, sobretudo do mundo literário. Em 1958, por recomendação de Ferreira Gullar, passa a escrever para o Suplemento Dominical do Jornal do Brasil, que revelou Maura e a aproximou de Reynaldo Jardim, Assis Brasil, José Louzeiro e Carlos Heitor Cony.

Entre casos amorosos, escândalos e internações, Maura Lopes Cançado publica, na década de 1960, seus dois livros, HOSPÍCIO É DEUS (1965) e O SOFREDOR DO VER (1968), que a tornariam uma das vozes mais expressivas da época. Sua primeira obra é fruto de uma de suas passagens pelo Hospital Gustavo Riedel, no Engenho de Dentro, Rio de Janeiro, entre o fim de 1959 e começo de 1960. Os registros de seu dia a dia vão além da exposição da cinzenta realidade dos pacientes psiquiátricos. A autora deixa aflorar questionamentos, medos, angústias, que o seu talento captou e transformou em boa literatura. A leitura de seus textos provoca um olhar para dentro de si mesmo; talvez por isso, Reynaldo Jardim tenha declarado que “este é um livro perigoso, feito para comprometer irremediavelmente sua consciência”.

Em O SOFREDOR DO VER, uma coletânea de contos, alguns inéditos e outros já publicados no Suplemento Dominical do JB, o tema da loucura continua presente em textos como “Espiral ascendente”, “Introdução a Alda” e “No quadrado de Joana”, mas a escritora experimenta neste volume uma transição: abandona o tom confessional das primeiras narrativas e dedica-se a construir histórias em terceira pessoa, com teor estritamente elaborado da criação. A obra de Maura despertou interesse de estudiosos e chamou a atenção de acadêmicos, que debruçaram o olhar sobre seu processo criativo para elaborar textos e teses esmiuçando palavras, sentimentos e enigmas.

Agora lançados pela Autêntica Editora, os dois livros de Maura Lopes Cançado chegam às livrarias em edição especial, reunidos em um charmoso estojo e acrescidos de um perfil biográfico escrito pelo jornalista Maurício Meireles. O texto, ilustrado com fotos de Maura e sua família, dá ao leitor a oportunidade de conhecer um pouco mais de sua vida e obra.

*Meu reino não é deste mundo, pareço dizer-me quando tudo se mostra demais difícil e insuportável. Então tudo termina a um gesto íntimo meu. Se me lerem algum dia sentirão talvez pena. Desnecessário, afirmo: jamais fui atingida em minha essência. Sou muito mais que o que me cerca. Sou deveras mais do que tudo que me foi dado conhecer – e desprezar. Ando quase sempre à procura da minha dimensão humana.*
Maura Lopes Cançado – HOSPÍCIO É DEUS

Sobre a autora: Maura Lopes Cançado nasceu em 27 de janeiro de 1929, em São Gonçalo do Abaeté, cidade do Noroeste de Minas, quase 400 quilômetros de Belo Horizonte, numa tradicional família mineira. Aclamada como uma grande revelação da literatura brasileira em seu tempo, ela escreveu obras fortemente marcadas pela sua experiência como paciente de hospícios em Minas e no Rio de Janeiro. Foi interditada pela Justiça em 1974, depois de cometer um crime em uma clínica psiquiátrica. Morreu em 19 de dezembro de 1993, no Rio de Janeiro, sem nunca mais ter escrito um livro.

Serviço
Autora: Maura Lopes Cançado
Preço: R$ 74,00
Páginas: 232 + 136
Formato: 16 × 23 cm
ISBN: 978-85-8217-7310

Para mais informações, entre em contato com nossa assessoria de comunicação pelo e-mail ou pelo telefone (31) 3465-4500 (ramal 207).

← Voltar

Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.