Tradução de Roger Chartier provoca reflexões sobre a história

05/06/2009 — Assessoria de Comunicação

A história ou a leitura do tempo, de Roger Chartier, trata com legitimidade a tensão entre a forma retórica e a narrativa da história, de seu estatuto de conhecimento comprovado e da relação entre o lugar social que a história como saber se produz. Um dos mais conhecidos historiadores da atualidade, o francês Chartier tem obras publicadas em vários países, sempre provocando reflexões sobre a leitura, o livro e a história.

Três problemáticas norteiam A história ou a leitura do tempo: a concorrência para a representação do passado entre história, literatura e memória; as possibilidades e os efeitos da comunicação e da publicação eletrônicas sobre a investigação e a escritura históricas e, por fim, a constituição da relação entre as experiências do tempo e a construção do relato histórico.

Para Chartier, a especificidade da história é sua capacidade de distinguir e articular os diferentes tempos que se acham superpostos em cada momento histórico, e, depois de debruçar-se sobre a relação entre história, ficção, memória e saber histórico – dialogando com nomes como Paul Veyne, Hayde White e Michel de Certeau –, ele afirma: “fato é que a leitura das diferentes temporalidades que fazem que o presente seja o que é, herança e ruptura, invenção e inércia ao mesmo tempo, continua sendo a tarefa singular dos historiadores e sua responsabilidade principal para com seus contemporâneos”.

Para mais informações, entre em contato com nossa assessoria de comunicação pelo e-mail ou pelo telefone (11) 3034-4468.

← Voltar

Vendas institucionais e licitações
International calls
+55 (11) 3034 4468
Belo Horizonte
Rua Carlos Turner 420, Bairro Silveira,
Belo Horizonte - MG, CEP 31140-520,
Tel. (31) 3465-4500
São Paulo
Av. Paulista, 2073, Conjunto Nacional,
Horsa I, 23º andar , Conj. 2310, 2311, 2312
Cerqueira Cesar, São Paulo - SP, CEP 01311-940,
Tel. (11) 3034-4468

Pesquisar Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.