Grupo Autêntica

Autêntica Business Infantil e juvenil Yellowfante Gutenberg Nemo Vestígio Play

Fique por dentro do Grupo Autêntica

  • Notícias
  • Press Kit (Releases)
  • Saiu na Imprensa
  • Eventos
  • Contato
    (exclusivo para imprensa):

    (31) 3465-4500 (ramal207)

Release - Diálogos na educação de jovens e adultos

01/01/2007 — Assessoria de Comunicação

As práticas, questionamentos e pesquisas do Núcleo de Educação de Jovens e Adultos (Neja) da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais são o cerne do livro Diálogos na educação de jovens e adultos, organizado pelo doutor em Educação e organizador do Neja, Leôncio José Gomes Soares. Professores e integrantes do Neja imprimiram suas concepções em artigos que apresentam diferentes olhares e interlocuções sobre temas referentes às práticas educativas direcionadas aos jovens e adultos populares. Como garantir a eles o direito ao conhecimento e à cultura?

No decorrer das páginas, autores falam da importância de o educador de jovens e adultos populares atentar para as vivências, os processos, as identidades, as lutas e os saberes construídos por esses alunos em suas relações sociais, culturais e políticas. A família, o trabalho, os grupos culturais, os movimento sociais, a militância política, a religião são alguns dos espaços sociais que produzem e imprimem sentidos nos indivíduos. É necessário saber quem são esses jovens e adultos e tratá-los não só como alunos, mas sim como sujeitos sociais. E é para avançar nessa questão que os autores enxergam esses espaços sociais e os sentidos por eles produzidos como importante ferramenta de referência para os educadores de jovens e adultos e para pesquisadores do assunto na elucidação de diversas problemáticas.

Um dos autores do livro, em seu artigo, fala que o conceito de escola como espaço social onde pessoas se encontram e produzem relações sociais, muitas vezes é esquecido. Ele alerta para a possibilidade de essas relações serem desumanizadas quando não estiverem em sintonia com os projetos e as aspirações dos sujeitos envolvidos. Além disso, a obra lança um olhar crítico sobre a visão escolocêntrica que vê os alunos como resistentes à cultura escolar. Essas são algumas das questões tratadas na obra.

Para mais informações, entre em contato com nossa assessoria de comunicação pelo e-mail ou pelo telefone (31) 3465-4500 (ramal 207).

← Voltar

Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.