Grupo Autêntica

Fique por dentro do Grupo Autêntica

  • Notícias
  • Press Kit (Releases)
  • Saiu na Imprensa
  • Contato
    (exclusivo para imprensa):

Release - Alfabetização - uma perspectiva humanista e progressista

01/01/2007 — Assessoria de Comunicação

A aprendizagem significativa não é superficial, é penetrante e não se limita a um aumento de conhecimentos; abrange várias dimensões e promove transformação. A educação libertadora é muito mais do que apenas arquivar conhecimentos. Alfabetização – uma perspectiva humanista e progressista , que chega ao público pela Autêntica Editora, defende essa idéia. A obra apresenta um trabalho de alfabetização desenvolvido com uma turma de alunos em uma escola pública de Belo Horizonte e uma metodologia de alfabetização fundamentada na teoria humanista de Carl Rogers, pioneiro no desenvolvimento da chamada Psicologia Humanista e nas idéias de Paulo Freyre, referência em Educação.

Escrito por quem tem vários anos de magistério na rede pública de ensino de Belo Horizonte, a professora Stefânie Arca Garrido Loureiro, formada em Letras e Psicologia e mestre em Psicologia Social pela Universidade Federal de Minas Gerais, o livro tece uma crítica ao modelo de ensino pautado pelo autoritarismo e pela memorização de conteúdo do aluno que muitas vezes não compreende o que decora.

Na perspectiva acima, “os educandos são passivos, objetos pacientes que ouvem o sujeito, o narrador materializado na figura do professor”, acredita Stefânie. Dessa forma, os conteúdos passados aos alunos figuram como fragmentos da realidade, desconectados da totalidade, o que compromete o processo de aprendizado e compreensão. Quem pensa que essa prática de transmissão vertical de conhecimentos só traz prejuízo aos alunos está enganado, a autora acredita que o educador se aliena na medida em que se enxerga como “aquele que sabe tudo e esquece de sua incompletude e de sua necessidade de buscar e ser mais”.

Conferir à alfabetização e à prática de ensino um caráter mais humanista e progressista é o que propõe a obra. A autora alerta: “se o aluno não puder falar de seus sentimentos, pode não entrar em contato com eles. Pode tentar distorcê-los para que se assemelhem ao que os outros esperam dele. Nesse caso, afasta-se de si mesmo, passando a agir de conformidade com o que os outros lhe dizem que deve ser feito. Seu processo de crescimento humano fica dificultado ou bloqueado. O aluno perde a oportunidade de construir uma relação autêntica consigo mesmo e com o outro e de se transformar nesse processo”.

Para mais informações, entre em contato com nossa assessoria de comunicação pelo e-mail ou pelo telefone (31) 3465-4500 (ramal 207).

← Voltar

Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.