Jacques Tardi mostra em quadrinhos o horror dos campos de batalha durante a Primeira Guerra Mundial

05/12/2011 — Assessoria de Comunicação - Pluricom

No ambiente hostil da Primeira Grande Guerra, alemães, ingleses e franceses passam por situações desumanas no ‘front’. Suas casas agora são as trincheiras, os soldados vivem na lama e “o mais impressionante é que ainda há vestígio de vida no fundo dos buracos, apesar de tantas ogivas serem lançadas todos os dias sobre tão pouco terreno”. Lançado no Brasil pela Editora Nemo, Era a guerra de trincheiras, do mestre francês Jacques Tardi, mostra com realismo estes momentos pouco registrados nos livros de História, num clamor contra o horror da guerra – qualquer guerra.

Baseado em extensa bibliografia e filmografia (que vai desde Charles Chaplin até Ernest Hemingway), Tardi conta ainda com ajuda de seu documentarista, Jean-Pierre Verney, com quem mantinha longas conversas telefônicas quase todos os dias para a elaboração detalhada de cada quadro. Sua intenção não é contar uma história cheia de heróis e aventuras, e sim ilustrar um momento doloroso e traumático dos homens, num “grito gigantesco de agonia”, como afirma na apresentação do álbum.

Influenciado pelos relatos do avô, Tardi usa esse álbum como uma forma de denúncia pelas circunstâncias deploráveis em que se encontravam os combatentes, por meio de relatos de testemunhas que ele buscou por conta própria. As histórias mostram acontecimentos, reflexões e até mesmo paranoias causadas pelos horrores presenciados. Uma delas fala sobre Gaspard, um soldado que caçava ratos. Uma noite teve seu abrigo inundado, mas conseguiu fugir. Quando foi encontrado, estava quase irreconhecível por conta do irônico destino que lhe foi reservado.

A tristeza, o medo da morte iminente, a saudade da família e a vontade de voltar para casa são só alguns dos temas trabalhados nessa obra ganhadora do conceituado Eisner Award (melhor trabalho baseado em fatos reais e melhor publicação americana de material estrangeiro), entre outros prêmios.

O traço marcante de Tardi pode agora ser conferido na versão brasileira, com tradução de Ana Ban, que chega ao Brasil com capa dura, no formato 22,5 × 29,5 cm, com 128 páginas ilustradas em preto, branco e tons de cinza.

Clique aqui para download da capa e das páginas iniciais do álbum em alta resolução.

Sobre o autor – Jacques Tardi nasceu na França em 1946 e começou sua carreira como quadrinista no final da década de 1960. Tardi tem produzido vários quadrinhos e graphic novels anti-guerra, focando principalmente o trauma coletivo europeu da Primeira Guerra Mundial, como este excelente Era a guerra de trincheiras.

Para mais informações, entre em contato com nossa assessoria de comunicação pelo e-mail ou pelo telefone (11) 3034-4468.

← Voltar

Vendas institucionais e licitações
International calls
+55 (11) 3034 4468
Belo Horizonte
Rua Carlos Turner 420, Bairro Silveira,
Belo Horizonte - MG, CEP 31140-520,
Tel. (31) 3465-4500
São Paulo
Av. Paulista, 2073, Conjunto Nacional,
Horsa I, 23º andar , Conj. 2310, 2311, 2312
Cerqueira Cesar, São Paulo - SP, CEP 01311-940,
Tel. (11) 3034-4468
Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.