Autêntica Editora investe em títulos juvenis com autores clássicos e contemporâneos

07/03/2012 — Assessoria de Comunicação - Pluricom

Primeiros títulos para jovens já estão nas livrarias: Cuore, do italiano Edmondo de Amicis (1886) e Micrômegas, do francês Voltaire (1752)

Iniciando uma nova fase em sua história, a Autêntica Editora deu mais um passo em direção à diversidade de suas publicações, sempre priorizando a qualidade literária dos originais e da tradução para o português. A partir deste ano, títulos especialmente dirigidos ao público juvenil serão a nova aposta para consolidar a preferência por uma boa literatura, tanto de autores clássicos como contemporâneos.

Conhecida por sua atuação no segmento de livros na área de humanidades, focados no público acadêmico, a Autêntica inaugurou seu catálogo infantil em 2008 e já arrebatou importantes prêmios, como o Jabuti em 2009 e 2010, além de alguns selos Altamente Recomendável da FNLIJ e vários títulos selecionados para programas institucionais de leitura. A ampliação do catálogo para o público juvenil foi, portanto, um caminho natural, como explica a editora do segmento da Autêntica, a escritora Sonia Junqueira. “A Autêntica já era reconhecida e adotada por universidades e secretarias da educação de todo o país; com o fortalecimento dos programas institucionais de seleção de livros de literatura infantil e juvenil, recebeu muitas sugestões, sobretudo por parte de secretarias, para que criasse um catálogo infantil e juvenil com o mesmo padrão de qualidade do acadêmico”, conta Sonia. “Foi quando Rejane Dias, diretora geral, me convidou pra inaugurar esse catálogo. Começamos com livros infantis; em 2009, lançamos o primeiro juvenil, Histórias daqui e d’acolá, de Maria Valéria Rezende; em 2011, saiu Vagalovnis, poesia, de Antônio Barreto. Foi uma incursão tímida que agora se amplia e ganha força.”

De imediato, o público jovem já pode se deliciar com duas preciosidades que acabam de chegar às livrarias: Cuore, do jornalista italiano Edmondo de Amicis, publicado na Itália em 1886, e Micrômegas – Uma história filosófica, do filósofo francês Voltaire, escrito em 1752.

Mantendo o título original, Cuore (“coração”, em italiano), espécie de “diário escolar”, é narrado por um aluno da 3ª série de uma escola municipal da Itália. O livro se tornou célebre e atravessou dois séculos; encantou e emocionou inúmeras gerações em diversos países, tornando-se um clássico da literatura para crianças e jovens. Um livro certamente enriquecedor para leitores brasileiros, que poderão conhecer um pouco da vida de crianças italianas daquela época, comparar com a vida que levam hoje, refletir e debater sobre semelhanças e diferenças nos hábitos, nos valores, nos comportamentos e nas relações humanas. “Uma leitura que, feita de coração aberto e sem perder de vista a época em que foi escrita, certamente vai emocionar”, afirma a editora.

Inspirado nas Viagens de Gulliver (1726), de Jonathan Swift, Micrômegas é considerado um dos primeiros textos de ficção científica e também um dos primeiros a veicular a possibilidade de a Terra ser visitada por habitantes de outros planetas. O personagem que dá nome ao livro é um ser gigantesco, habitante de um planeta que gira em volta da estrela Sirius, que decide se aventurar pelo universo. Em sua jornada, para em Saturno, onde fica amigo de um gigante menor que ele, e segue viagem, agora em companhia do saturniano, passando por Marte e chegando à Terra. Aqui, os dois viajantes têm uma longa e interessante conversa com seres minúsculos, um grupo de filósofos que viajava num navio e que eles só conseguem enxergar usando um diamante como microscópio. “O resultado é uma obra irônica e bem-humorada, que leva a reflexões sobre o homem, suas crenças, costumes e instituições, suas grandezas e pequenezas”, comenta Sonia Junqueira.

Uma das vertentes da linha juvenil da Autêntica é portanto, o resgate de obras-primas da literatura universal que vêm agradando gerações de jovens há séculos. Algumas traduções são assinadas pela educadora e escritora Maria Valéria Rezende, que enriquece os textos com a contextualização de cada obra e autor, além de notas que ajudam o leitor da atualidade a compreender especificidades das narrativas. No caso do Cuore, por exemplo, ela lia o livro quando criança, viveu na região da Itália em que vivia o autor e conhece bem as expressões coloquiais empregadas por ele, tendo feito uma tradução exata porém numa linguagem adequada para o público de hoje.

Outro destaque é o cuidadoso projeto gráfico, que prima pela qualidade e adequação da capa, das ilustrações, do papel e impressão. “O projeto gráfico procura sempre dialogar com a história por meio da escolha do ilustrador, da tipologia, das cores e texturas do papel. Ou seja, procuramos, no aspecto físico do livro, ter o mesmo cuidado que temos em relação ao texto”.

Mas as novidades não param por aí. Em breve chegam novos títulos. O diário de Gian Burrasca, do autor italiano Vamba, é considerado o livro para crianças e jovens mais divertido e emocionante de toda a literatura italiana. Publicado originalmente em 1912, o livro chega pela primeira vez ao Brasil, traduzido por Reginaldo Francisco. Traz a visão original do mundo por um garoto de nove anos que logo se tornou sinônimo de garoto rebelde e endiabrado, combinando piadas e aventuras inimagináveis. Sua história representa a independência e originalidade de pensamento e opinião, numa sátira bem-humorada às convenções sociais e políticas e ao mundo conformista e hipócrita dos adultos. Foi alguma vezes filmado para o cinema e, em 1964, transformado pela cineasta Lina Wertmüller em série de televisão (disponível em www.rai.tv), com Rita Pavone no papel de Gian Burrasca.

Outro título previsto para os próximos meses é O castelo encantado, da autora inglesa E. Nesbit. Publicado em 1907, traz as aventuras de três irmãos, na Inglaterra, durante as férias escolares, quando encontram um castelo encantado a que não faltam os costumeiros fantasmas, mas que também tem sortilégios e encantamentos assustadores.

Já em processo de tradução, há títulos como Little Dorrit, de Charles Dickens, e Mémoires d’um âne, da Condessa de Ségur, entre outros.

Autores contemporâneos

Mas não apenas autores clássicos estão contemplados na nova linha de livros juvenis. Vários autores contemporâneos vêm enriquecer o catálogo de literatura juvenil, com escritores estrangeiros e nacionais:

O avô mais louco do mundo, do autor uruguaio Roy Berocay, mostra um menino de 11 anos, em férias na casa do avô considerado “louco” por seu comportamento fora dos padrões, vivendo aventuras policialescas e se interessando, pela primeira vez, por uma menina.

O que você vê? – uma conversa filosófica, da francesa Marie José Mondzian, é um diálogo entre uma filósofa e uma adolescente sobre a realidade e as imagens dela. Durante dois anos, a autora se encontrou com crianças e pré-adolescentes em escolas de diversas cidades da França e de vários bairros de Paris. Conversavam sobre tudo o que viam, tanto na realidade quanto nas imagens que povoam o mundo. Assim surgiu esse livro, sob a forma de um diálogo imaginário no qual tudo o que é dito foi realmente falado por uns e outros durante aqueles encontros. Segundo a autora, as crianças a ajudaram a compreender as alegrias, tristezas e medos que as imagens do mundo em que vivemos nos provocam. As ilustrações são modernas, soltas, de traços firmes, e em muitos momentos recorrem à linguagem dos quadrinhos.

Você é livre!, um romance-reportagem da jornalista francesa Dominique Torrès sobre escravidão e liberdade. No Níger, país africano, o menino Amsy e sua família são escravos de uma família de tuaregues, no deserto. Um retrato comovente da vida de muitas pessoas ainda submetidas à escravidão em pleno século XXI.

Mil coisas podem acontecer, do galego Jacobo Fernández Serrano, conta uma história extraordinária, com situações disparatadas e cheias de nonsense. A narrativa mostra uma série de personagens insólitos vivendo situações surreais, cheias de imaginação, que acontecem na cidade de Nil, onde tudo é possível, onde o excepcional faz parte do dia a dia – até, por exemplo, um porco ir pra escola para se alfabetizar, o cachorro assumir o lugar dele no chiqueiro e o joalheiro da cidade assumir a função do cachorro como vigia de ovelhas…

Ouro dentro da cabeça, da brasileira Maria Valéria Rezende, relata a história de Marílio da Conceição, um nordestino que anda pelo Brasil vivendo situações difíceis e sofridas, sem desistir nem se deixar abater até conseguir encontrar o tesouro que procura: aprender a ler e a escrever. Trabalha como escravo na Amazônia, derrubando árvores, vive um tempo no garimpo, vai ser peão de construção civil na cidade grande e assim por diante, até realizar seu sonho.

Também está sendo lançada uma coletânea, organizada pelo escritor Adriano Macedo, de contos de autores brasileiros, como Machado de Assis, Luiz Vilela, Affonso Romano de Sant’Anna, Lourenço Diaféria, Marcos Rey, Raul Pompeia, entre outros, com histórias que se passam sempre na escola. O título não poderia ser outro: Retratos da escola.

Meta para 2012

A marca da nova linha de juvenis da Autêntica, assim como a de infantis, que continua firme, é a qualidade do original: “livros cuja leitura, além de prazer, promova a reflexão; livros que façam diferença, que marquem de alguma forma”, explica Sonia Junqueira. “Acreditamos que, para o nosso leitor, é importante a variedade de temas, de assuntos, de linguagens, de universos apresentados nos livros. Nossa preferência é pela boa literatura.”

A meta é que, até o final de 2012, o catálogo infantil e juvenil da editora inteire 74 títulos, já agora oferecendo aos leitores teen a chance de conhecer tanto histórias contemporâneas quantos enredos clássicos, aqueles “eternos”, muitos deles esquecidos: “As pessoas estão cada vez mais ‘novidadeiras’, o consumo é instantâneo, muitas vezes, superficial; há uma voracidade pelo novo, pelo atual mas penso que, por mais jovem que seja o leitor, ele deve ter a oportunidade de experimentar, pelo menos literariamente, outras épocas, outros mundos, outros universos e contextos, para encontrar beleza e verdade também no passado e perceber que, por trás do presente, existe uma história que não passa: continua”, afirma a editora.

Para mais informações, entre em contato com nossa assessoria de comunicação pelo e-mail ou pelo telefone (11) 3034-4468.

← Voltar

Vendas institucionais e licitações
International calls
+55 (11) 3034 4468
Belo Horizonte
Rua Carlos Turner 420, Bairro Silveira,
Belo Horizonte - MG, CEP 31140-520,
Tel. (31) 3465-4500
São Paulo
Av. Paulista, 2073, Conjunto Nacional,
Horsa I, 23º andar , Conj. 2310, 2311, 2312
Cerqueira Cesar, São Paulo - SP, CEP 01311-940,
Tel. (11) 3034-4468

Pesquisar Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.