Feliz aniversário, Clarice

Hugo Almeida - Publicado na categoria Nossos Autores em 10/12/2020


Todos nós sabemos que a cada dia torna-se mais rica a fortuna crítica de Clarice Lispector, a autora mais querida, mais lida e estudada no Brasil, amada também mundo afora. Como ficcionista, penso que o centenário de nascimento da nossa maior escritora merecia um livro inspirado em Laços de família, de 1960. Cem anos da escritora e 60 do seu mais expressivo volume de contos, todos antológicos. Para celebrar as duas grandes datas, organizei a coletânea Feliz aniversário, Clarice, que a Autêntica Editora publica agora em dezembro de 2020.

Nele, 27 ficcionistas (12 são mulheres) dialogam com a obra e homenageiam essa estrela – tão humana quanto misteriosa – nascida na Ucrânia que aportou no Brasil com apenas um ano e três meses, como Nádia Battella Gotlib documentou no seu belo livro Clarice Fotobiografia. Clarice Lispector iluminou a nova pátria com textos inusitados, inquietantes, tensos, cheios de mistérios e de vida pulsante. Na véspera de completar 57 anos, ficou encantada, como diria Guimarães Rosa. Haia, seu nome original, significa vida em hebraico. Neste 10 de dezembro, primeiro centenário de Clarice, autora e obra irradiam luz e vida.

A coletânea traz duas recriações de 12 dos 13 dos contos de Laços de família. De um deles, “Feliz aniversário”, há três versões. Intertextuais ou não, todas com novos títulos e epígrafes dos originais, as recriações – em geral uma escrita por mulher e outra por homem, quase sempre de estados e idades distantes – têm pontos de vista bem diferentes ou mesmo opostos. Os contos são uma amostragem da rica e diversificada literatura brasileira contemporânea. Tive o cuidado de reunir escritores de vários estados, do Rio Grande do Sul ao Pará, nascidos na década de 1920 até a de 1990, muitos deles com a obra consolidada e expressivos prêmios, uns internacionais, mas há também alguns em início de carreira e duas inéditas.

Como na obra de Clarice, o leitor verá que inquietação, dor, mistério, amor, inveja etc. atravessam as histórias da coletânea. No final do volume, encontrará depoimentos dos autores (há belos miniensaios) sobre a “Gênese dos contos”. Alguns conheceram a escritora e relembram a magia desses encontros. Eu e os demais participantes de Feliz aniversário, Clarice esperamos que o nosso trabalho tenha resultado digno da autora de Laços de família.

Hugo Almeida
São Paulo, dezembro de 2020

Tags:  autênica,  clarice lispector,  centenário clarice lispector


Comentários