Dia da Visibilidade Trans: Um papo com Gauthier

Gauthier - Publicado na categoria Entrevistas em 29/01/2019


Ilustração de Gauthier feita especialmente a celebração do Dia da Visibilidade Trans.

Para celebrar o Dia da Visibilidade Trans, convidamos a autora da graphic novel Justin – uma obra que relata o processo de transição de um homem transexual – para responder algumas perguntas e falar sobre o tema conosco.
Acreditamos que quanto mais o assunto for desmistificado, mais combateremos a transfobia no Brasil.

Leia abaixo à a entrevista com Gauthier e leia Justin!

Blog: Como foi o processo de construção e pesquisa para um personagem trans?

Gauthier: Eu criei o personagem do Justin a partir da minha própria experiência, assim, todo o processo intelectual e todas as anedotas vividas pelo Justin, da sua infância até o momento que ele dá início à transição, são na realidade tirados da minha própria vivência. Claro que algumas cenas não aconteceram exatamente dessa mesma maneira, mas elas aconteceram em outros contextos. A única coisa que eu não vivenciei nesse livro é a transição, portanto pedi ajuda aos amigos que tinham transicionado para que o final do livro soasse tão justo quanto o início.

B: Qual a importância de um livro como Justin?

G: Justin é um livro importante para mim porque, na época que eu vivi todas essas interrogações e todos esses questionamentos, eu não tinha nada a que me apegar. Na França não tinha nenhum livro, nenhum filme e principalmente nenhum quadrinho que tratava desse assunto. Então escrevi o livro que eu teria gostado de ler nessa época da minha vida. Apesar de ter hoje muito mais coisas que falam das identidades trans, me parece importante contribuir com essa visibilidade, e Justin, apesar das suas imperfeições, contribui para isso. Justin foi desenhado anos atrás e não tinha essa vocação de se tornar internacional. Ia ser xerocado e distribuído para alguns amigos próximos, e não devia ultrapassar uns 20 exemplares. É uma surpresa e uma felicidade para mim ver Justin falar português.

B: O que você espera que as pessoas tirem dessa história?

G: Eu não sei se eu quero que os leitores tirem alguma coisa dessa história em particular, quero simplesmente que esse livro possa fazer bem para algumas pessoas, que essas pessoas possam se sentir menos sozinhas. E para as outras, que elas possam simplesmente aceitar sem julgar. Quero acrescentar que Justin é um homem trans que tem sua própria história, que esse livro não tem a pretensão de representar todas as histórias de vida e de transição de uma pessoa trans. Justin evolui num mundo binário, ele infelizmente não é isento dessa realidade nesse momento da vida dele. Também, ele cai algumas vezes no clichê masculino versus feminino, ele não é perfeito… Ele é simplesmente humano.

—-

Anne-Charlotte Gauthier trabalha como ilustradora para a imprensa e editoras infantojuvenis, e realiza, paralelamente, diferentes projetos de histórias em quadrinhos, publicadas pelas editoras Misma, 6 pieds sous terre e Delcourt. Na Editora Nemo, publicou O enterro das minhas ex e Justin.

Tags:  visibilidade trans,  transexual,  gauthier,  justin,  editora nemo,  lgbt,  lgbt+,  quadrinhos lgbt


Comentários