A experiência de respirar literatura por três dias


Publicado em 06/07/2016


Antes de sequer pensar em trabalhar no mercado editorial, nós éramos leitoras.

Mais do que um meio de trabalho, para nós, os livros sempre representaram um portal, capaz de nos transportar para as mais diferentes realidades e para os mais diferentes tempos.

Por isso mesmo, quando nos deparamos com um evento internacional, situado em terras brasileiras – e que belas terras! – como a Festa Literária de Paraty (ou FLIP para os “íntimos”), não pensamos duas vezes em arrumar as malas e partir para essa viagem.

Se você já teve a oportunidade de participar do evento, sabe que o clima é mesmo de festa…! Mas, se você ainda não visitou a FLIP, a nossa missão é contagiá-lo com o vírus do amor da literatura… pela literatura.

Vamos começar pela ambientação. Paraty se localiza no litoral sul do estado do Rio de Janeiro, a 258 quilômetros da capital. Seu centro histórico conserva as características da arquitetura do Brasil colonial e é considerado um Patrimônio Histórico Nacional.

Durante os cinco dias da FLIP, suas ruas, formadas por pedras e desníveis, recebem a visita de mais de 20 mil pessoas de diversos lugares do Brasil e do mundo, que assistem e interagem com as várias atrações das programações oficiais e das “paralelas”, batizadas como “Off FLIP”.

Na sua 14ª edição, o evento, que tem curadoria do editor e jornalista Paulo Werneck, contou com 21 mesas na Tenda dos Autores, além de dezenas de outras atrações sediadas nas casas de parceiros e em outros espaços do evento.

Além dos autores, jornalistas e influenciadores convidados para os debates, todos os anos a FLIP elenca um escritor brasileiro como homenageado e sua obra se torna tema de diversas mesas e debates. Neste ano, o destaque foi para a poeta Ana Cristina Cesar, a segunda mulher a conquistar este posto (a anterior havia sido Clarice Lispector, em 2005).

E por falar nas mulheres, elas foram presença marcante não só na audiência, mas como nos temas abordados na programação: a representatividade feminina e os direitos das mulheres, questões que estão bastante em voga, foram assuntos tratados nas mais diversas narrativas. Um exemplo é a programação da Nau dos Insensatos, uma atração da Off-FLIP com curadoria de Thelma Guedes e Newton Cannito, que trabalhou com o tema central de literatura e loucura, com uma homenagem especial para Maura Lopes Cançado, autora de Hospício é Deus e O sofredor do ver, relançados em 2015 pela Autêntica Editora.

Mas a FLIP não é feita apenas de programações com hora marcada… Grande parte do seu encanto está fora das casas e dos auditórios – está nas ruas, coloridas e vibrantes. Nas praças, com livros pendurados como frutas em árvores, servindo de alimento para as crianças que leem com seus pais. Está nos poetas, músicos e atores que conquistam a atenção do público com declamações a céu aberto. Está no canto das crianças índias, dos autores de primeira viagem que lutam para divulgar o seu trabalho.

Durante esses cinco dias, respira-se literatura em Paraty. E, para leitores apaixonados, esse torna-se certamente um conforto. É estar no lugar certo na hora certa, falando da coisa certa.

A experiência foi um mergulho delicioso no enorme universo da literatura – uma exteorização do que, para nós, já é o dia a dia. Para quem trabalha com livros, nada como viver livros.

Giulia Camargo (Comunicação)
Sabrina Inserra (Marketing)


Comentários

Vendas institucionais e licitações
+55 31 3465 4500
International calls
+55 11 3034 4468
Belo Horizonte
Rua Carlos Turner 420, Bairro Silveira,
Belo Horizonte - MG, CEP 31140-520,
Tel. (31) 3465-4500
São Paulo
Av. Paulista, 2073, Conjunto Nacional,
Horsa I, 23º andar , Conj. 2310, 2311, 2312
Cerqueira Cesar, São Paulo - SP, CEP 01311-940,
Tel. (11) 3034-4468
Rio de Janeiro
Rua Debret, 23, sala 401, Centro
Rio de Janeiro - RJ, CEP 20030-080,
Tel. (21) 3179-1975