Grupo Autêntica

Devir-criança da filosofia - Infância da educação

(Organização)

Livro físico Impressão sob demanda  impressão sob demanda

livrariadabok2.com.br, Umlivro

E-BOOK E-BOOK

Amazon, Google Play.

Carregando...

“A infância, enquanto encarnação da própria filosofia, faz desta última uma arte de caçar borboletas.” A frase é uma homenagem de Cláudia Castro a Walter Benjamin, às “ardorosas caçadas” do menino em Berlim. O menino corre atrás da borboleta, encantado. Ela, frágil e doce, foge com rapidez da morte inevitável. A borboleta sabe que vai morrer e, mesmo assim, não se deixa caçar. Mais sabe a iminência da morte, mais livre voa de flor em flor, sem nelas sequer pousar, para evitar o ponto fixo em que possa ser caçada. Mais o menino sabe que não conseguirá pegar a borboleta, mais vive sua vida na busca, mais se torna a própria busca. As personagens pouco contam. Na verdade, a frase de Cláudia é um presente para uma infância impessoal, sem idade, biografia ou pátria. O menino e a borboleta são figuras de uma experiência vital, de um mundo, de uma vida livre impessoal. A frase é também uma oferenda para a filosofia, porque bem entendida, ela é justamente isto: a arte de um encontro tão impossível quanto irresistível que, quando se torna corpo, chamamos infância.

Páginas: 240 • Formato: 16 x 23 cm • Acabamento: brochura • ISBN: 9788575265109 • Código: 10620 • Área temática: Filosofia • Autêntica Editora • Edição: 1 • Mês/Ano de publicação: 09/2010


Outros livros deste(s) autor(es)

Obras da mesma área

Fechar

Pesquisar por autor, título, série, coleção ou ISBN.